Fernando Rios

Mas afinal, o que é coaching?

Coaching em alta no Brasil.
Coaching é criatividade, organização, decisão e ação. E muito mais! Mas estas
quatro palavras resumem tudo de forma simples e verdadeira. E explicarei o por quê.
O coaching é um processo onde a pessoa vai trazer à realidade algum sonho, projeto,
ideia, vontade, enfim, algo que queira de fato realizar. Ah, então um coach pode me
ajudar a realizar qualquer coisa que eu queira? Não! Como em tudo na vida
precisamos do bom senso e plena consciência do que está sob nosso controle, do que
depende de outras pessoas, do que de fato queremos, podemos e do tempo que
temos e precisamos para alcançar nossas metas.
Voltando às quatro palavras que usei para definir no início do texto, a
criatividade vem de uma das principais características do coaching: o coach faz
somente perguntas, não entrega respostas ao coachee, mas faz com que ele crie seus
próprios caminhos e ações, sempre baseado no que chamei de bom senso e
consciência. Daí a ideia de que o coaching é desenvolvimento humano sustentável, o
próprio coachee encontra em si e cria seu próprio plano de ação e suas respostas sem
que ninguém lhe diga o que é melhor. A organização é sobre organizar as ideias, em
uma linguagem simples. Todas as respostas são anotadas e organizadas pelo coach
para que o coachee possa visualizar tudo de forma mais clara. Decisão e ação andam
quase juntas, pois quando o coachee decide o que quer de fato, passamos a criar um
plano de ação viável, realista e efetivo que levará o coachee a realizar o que sonha,
projeta, quer….
Sobre a contratação de um bom coach, tenho duas dicas que acredito serem as
mais importantes para que o processo flua bem: primeiro de tudo, a empatia entre
coachee e coach, ou seja, se você se sentir bem, seguro e totalmente à vontade para
falar de seus planos, você encontrou seu coach. Segundo, veja com frieza os resultados
do seu processo e não deixe que a tal empatia influencie na sua decisão de continuar
ou não o processo porque a verdadeira felicidade e sucesso de um coach não estão na
continuidade, mas sim nas realizações de seus coachees.
Obrigado pela leitura e até o próximo bate papo!!
FONTE: Fernando Rios Andrade – fernando@e-humano.com.br

O que é um Bom Vinho?

Esta é uma questão bastante frequente para nós que estudamos sobre vinho. E
é uma questão que não tem uma resposta certa. Na verdade tem. Tecnicamente um
bom vinho é aquele que equilibra acidez, álcool e tanino no caso dos tintos. Todas as
vezes que eu respondi isso, a reação foi a mesma: expressão de quem ouviu o que não
queria e saiu sem resposta. Pior ainda é quando respondo com a mesma pergunta.
Mas encorajo a cada um que estiver lendo texto a responder para si mesmo:
O que é um bom vinho?
Para se definir um bom vinho há alguns fatores a se levar em consideração
como a região onde são plantadas as uvas, solo, clima do local, clima da safra, local
onde é produzido o vinho, tipo de uva, tipo de barril onde o vinho é amadurecido e
envelhecido e tantos outros que já começo a me perguntar: estou ajudando a pessoa
que está lendo? Não. E nem que conseguisse resumir tudo a dois ou três fatores eu
poderia ajudar. E por um motivo tão simples quanto verdadeiro: vinho não é uma
ciência exata, não existe uma regra que faz com que um vinho seja bom para todo
mundo. Vou responder a pergunta do título e será a minha resposta a isso, assim como
se você respondeu, sua verdade também está posta.
Um bom vinho é aquele que se une ao momento em que está sendo bebido.
Seja em um jantar com amigos, um momento romântico, uma festa, uma noite
solitária lendo um livro, assistindo um filme ou mesmo criando ideias, o vinho se
incorpora ao momento não sendo nem a estrela e nem somente algo a mais ali
presente. O vinho se mostra como um complemento, aquilo que faz a diferença para
que o momento seja melhor. Um bom vinho é aquele que você toma e lhe traz uma
sensação que nenhuma outra bebida pode trazer e que não me atrevo a tentar
descrever aqui. Um bom vinho, enfim, é aquele que está na resposta que você deu à
pergunta do título. É o seu bom vinho.
Obrigado pela leitura e até o próximo gole!
FONTE: Fernando Rios Andrade